Procedimento

O frênulo, membrana que liga a língua ao assoalho da boca, é popularmente conhecido como freio lingual, quando não se desenvolve plenamente e acaba não atingindo o tamanho ideal. Podemos ver o que é o frênulo ao levantarmos a língua e vemos a pele que liga ao ‘assoalho’ da boca. A consequência é a famosa ‘língua presa’ que acomete algumas pessoas. O nome científico dessa condição é chamada de anquiloglossia.

É uma anomalia que nasce com o indivíduo, por isso mesmo, bebês que têm a língua presa apresentam dificuldade de sugar o peito da mãe na hora da amamentação e chegam a perder peso por causa disso.
Por ser difícil sugar o leite, muitos bebês até desistem de procurar o alimento e o desmame pode ocorrer até antes do período considerado ideal, que é de seis meses. Apesar de nascer com a pessoa, o freio lingual curto não é uma condição genética. Existem casos em que na família do bebê não teve nenhum caso parecido. Pesquisadores acreditam que seja alguma alteração craniofacial que provoca a língua presa.

Mas não é só o bebê que sofre por causa do freio lingual excessivo. Os mamilos da mãe ficam extremamente dolorosos devido a força que o bebê tenta fazer para a sucção.

Em pessoas já maiores, não é raro que ocorra problemas de mastigação e deglutição, até a respiração pode ser mais difícil. Mas o freio lingual curto afeta principalmente a fala da pessoa, e é a mais notada, porque a articulação das palavras fica prejudicada e algumas não conseguem ser pronunciadas corretamente.

Como é tratado o freio lingual?

Em algumas pessoas o freio lingual vai, naturalmente se alongando ao longo da vida. Cientistas ainda não chegaram a um consenso sobre o por quê disso acontecer, mas sabe-se que alguns exercícios ajudam a minimizar os problemas que o freio lingual provoca.

A intervenção cirúrgica é unanimidade quanto aos resultados. As técnicas mais conhecidas são a frenectomia que consiste na remoção total do freio lingual, e existe a afrenotomia, que é um pequeno corte para separar o frênulo lingual. São procedimentos considerados simples que exigem apenas anestesia local e feitos no próprio consultório médico ou odontológico. Sim, dentistas também estão aptos a fazer o procedimento.

A recuperação é rápida e em um dia de resguardo o paciente pode seguir sua vida normalmente. Em alguns casos, a medicação com analgésicos é receitada nos dias logo posteriores a operação.

Resultados

Depois da cirurgia para corrigir o freio lingual, o paciente sente a melhora na sua rotina. Melhora a mastigação, a respiração e até a fala. Neste último caso são indicadas aulas de fonoaudiologia para ‘reaprender’ a pronúncia de determinadas palavras e, servem também como exercício para a língua.

O dentista e o médico podem esclarecer melhor os procedimentos e avaliar o caso que têm nas mãos. É sempre bom falar de suas expectativas e ouvir suas recomendações para saber exatamente como será todo o procedimento e os cuidados posteriores à intervenção.

Agende uma consulta